• Detalhe pintura Aredores de Curitiba
  • Detalhe pintura Duas Racas
  • Detalhe pintura Entrada Barra Sul Por do Sol
  • Detalhe pintura Mulher Desconhecida
  • Detalhe pintura Paisagem com Lírios
  • Detalhe pintura Paisagem Paranaense

Sociedade Amigos de Alfredo Andersen

Criada em 3 de novembro de 1940 (e registrada em 1944), por pessoas que admiravam e conviveram com Alfredo Andersen, a Sociedade de Amigos – assim denominada na época – sempre interagiu de forma ativa em apoio ao artista e educador Alfredo Andersen, hoje reconhecido como o “pai da pintura paranaense”.

Com o intenso suporte da Sociedade de Amigos, em 1947 o deputado estadual Rivadávia Vargas formalizou proposta ao Poder Público para dar início ao processo de desapropriação do imóvel em que Alfredo viveu e educou grande parte de sua vida. Essa proposta teve como objetivo preservar a memória de Andersen e foi concretizada em 1959, com a abertura da Casa de Alfredo Andersen – Escola e Museu de Arte.

Em 1979, a instituição idealizada pela Sociedade passou a ser chamada de Museu Alfredo Andersen. Antes era conhecida como residência, ateliê e escola de artes do pintor, e de 1935 (ano do falecimento do artista) a 1964 serviu de residência, ateliê e escola de artes para seu filho, Thorstein Andersen. Por diversos anos Thorstein manteve as funções do espaço estabelecidas por seu pai, e ainda ampliou a edificação para torná-la mais apta às suas necessidades. O imóvel, desapropriado e restaurado parcialmente em 1959, foi tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná em 1971 e, entre 1988 e 1989, foi totalmente restaurado e ganhou o aspecto que mantém até hoje.

Tendo cumprido seu objetivo principal de memória e conservação da obra de Andersen, a Sociedade de Amigos teve suas atividades paralisadas em 1950. Todavia, no dia 28 de novembro de 1992, reuniram-se no auditório do Museu Alfredo Andersen antigos sócios, amigos e autoridades para a reativação da Sociedade Amigos de Alfredo Andersen. Com a reativação, a chapa eleita para dar continuidade ao legado deixado foi a “Chapa Reativação”, presidida pelo bisneto do artista, Dr. Wilson José Andersen Ballão.

Wilson Ballão é presidente da Sociedade há 24 anos e jamais poupou esforços para que a Sociedade atingisse seus objetivos. Dentre eles o de apoiar os trabalhos de conservação, recuperação e divulgação do patrimônio histórico e artístico do artista, promovendo e patrocinando exposições, no Brasil e no exterior, e no desenvolvimento de programas e projetos de interesse do Museu.

A Sociedade Amigos de Alfredo Andersen atua hoje conjuntamente à equipe do Museu Alfredo Andersen, empenhando seus melhores esforços para dar continuidade à preservação e memória do legado deste importante ícone da arte paranaense e brasileira.

Acesse e saiba mais: www.amigosdealfredoandersen.com.br
Recomendar esta página via e-mail: